Mark Ruffalo já interpretou Bruce Banner em vários filmes (inclusive em Homem de Ferro 3), mas nenhum foi totalmente focado no Hulk – e isso não parece que vai mudar no futuro.

O problema não é realmente história, mas é prático: a Marvel não pode fazer um filme solo de Hulk. Os direitos do super-heróis pertencem à Universal.

É sabido que os direitos dos personagens nos cinemas têm uma grande influência nas produções da Marvel. Mas o caso do Hulk é mais complexo que o comum. Aqui, explicamos por quê.


Por que não há mais histórias solo do Hulk

Embora seus quadrinhos nunca tenham realmente vendido bem – a série original foi cancelada após apenas seis edições, com o personagem sobrevivendo apenas graças à sua associação com os Vingadores -, Hulk é um dos maiores ícones da Marvel.

A série de TV chamada O Incrível Hulk, dos anos 70 e 80, reformulou a visão mais ampla da cultura sobre o Gigante Esmeralda, popularizando muitos elementos essenciais. Isso é importante porque fez de Hulk uma estrela multimídia em um momento em que a Marvel era cautelosa com cinema e TV.

Um filme estrelado por Hulk foi lançado pela primeira vez em 1990, com a Universal tendo comprado os direitos. Depois aconteceu o Hulk de Ang Lee em 2003, um filme cuja reação mista levou ao cancelamento das sequências planejadas, fazendo os direitos voltarem para a Marvel em 2006, justamente quando o MCU estava sendo montado.

No entanto, ao contrário da maioria das outras reaquisições em que o criador recupera o personagem, a Universal ainda tinha uma cláusula – aparentemente em perpetuidade – de ter que distribuir qualquer filme do Hulk.

É por isso que O Incrível Hulk, o único filme solo do personagem no MCU, foi distribuído pela Universal. Naquela época, a Marvel Entertainment era uma empresa independente e, portanto, os estúdios operavam apenas como produção, trabalhando com distribuidores externos.

A distribuidora era tipicamente a Paramount, que lançou todos os filmes, exceto O Incrível Hulk, até Os Vingadores, quando a Disney comprou a Marvel e começou a ser a responsável pela distribuição.

No entanto, mesmo com o Hulk na Disney, a Universal ainda possui essa cláusula de contrato. Portanto, embora eles não possam fazer nada ativo com os direitos, se a Marvel decidir fazer um filme do Hulk, a Universal deve ser abordada primeiro. Isso foi bom nos anos 2000, quando a Marvel era independente, mas agora sob a Disney cria um conflito – eles estariam dando dinheiro para outra empresa.

Enquanto algo vagamente semelhante aconteceu com o Homem-Aranha, houve um equilíbrio muito mais claro de recompensas para ambos os lados. Aqui a Universal é a única que ganha.

Pode haver um lado mais antagônico nisso também. A última pessoa que falou sobre o assunto foi Mark Ruffalo, que apontou que Universal e Marvel não se dão bem. Toda a situação se resume àquela pequena cláusula.

Por que a Marvel ainda pode usar o Hulk

No entanto, não é como se não houvesse Hulk no MCU. Depois de ser reformulado com Mark Ruffalo, Hulk apareceu em Os Vingadores, na cena pós-créditos de Homem de Ferro 3, Vingadores: Era de Ultron, Thor: Ragnarok e Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato.

Isso ocorre porque a cláusula da Universal se refere apenas a filmes solo de Hulk e, como Bruce Banner é claramente parte de um conjunto nesses casos, eles não podem interferir.

Filmes do Hulk são complicados

Hulk não é o mais popular dos principais Vingadores. E isso é verdade tanto na década de 1960 quanto na de 2000. O Hulk de Ang Lee faturou apenas US$ 245 milhões nas bilheterias mundiais, enquanto O Incrível Hulk não foi muito longe, com US$ 263 milhões.

Nenhum dos filmes recebeu muita atenção também. O Incrível Hulk foi um dos filmes mais friamente recebidos pela crítica dentro do MCU, portanto é tão ignorado.

Os filmes do Hulk são complicados, na melhor das hipóteses. Parte disso vem de um equilíbrio difícil dentro do conceito do personagem.

A série de TV fez sucesso justamente porque focava no drama interno de Banner, o que não vimos no cinema ainda. Com a série da Mulher-Hulk chegando ao Disney+, quem sabe não possam resolver esse problema através de outra personagem?