Falecido em 10 de outubro de 2004, há exatos 15 anos, Christopher Reeve continua sendo um dos artistas mais emblemáticos da história dos filmes de quadrinhos.

Sua interpretação de Superman/Clark Kent em Superman: O Filme, de Richard Donner, ajudou a lançar o subgênero cinematográfico de super-heróis e consolidou Reeve como um talento que diversas gerações de fãs de filmes poderiam desfrutar.

Aqui estão dez curiosidades sobre o Superman de Reeve, o primeiro a nos fazer acreditar que um homem podia voar.


Superou Al Pacino e Sylvester Stallone pelo papel

Quando Richard Donner começou a procurar um ator para ser seu Superman, mais de 200 astros competiram pelo papel. Entre eles, estavam verdadeiras estrelas de Hollywood, como Al Pacino, Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger.

Até mesmo o cantor Elton John, um sucesso naquele ano, fez testes para interpretar o Superman. Indo além das expectativas, Christopher Reeve surpreendeu os produtores pelo porte físico e pela bondade e carisma que conseguia passar com tanta naturalidade.

Reeve também foi uma opção aprovada por Donner e pelo astro Marlon Brando, que interpretou Jor-El, porque era quase que totalmente desconhecido até então (Brando não queria ninguém mais famoso que ele no elenco).

Seu Superman quase foi dirigido por Steven Spielberg

Bem antes de Christopher Reeve ser escolhido como Superman, os produtores também tiveram que escolher quem dirigiria aquela grande produção. Foi outra seleção complicada.

Quando o roteirista Mario Puzo, de O Poderoso Chefão, foi contratado, ele sugeriu que Francis Ford Coppola fosse o diretor, mas acabou não rolando. George Lucas também foi considerado.

O produtor Ilya Salkind expressou interesse em contratar Steven Spielberg, que estava em ascensão na época. No entanto, sua esposa achava que Spielberg era muito inexperiente e que poderia não emplacar, então Richard Donner foi escolhido.

Treinou com Darth Vader

Ao conseguir o papel do Superman, Christopher Reeve, muito magro, foi informado de que precisaria usar um traje muscular artificial para que ficasse mais parrudo como Superman.

Ele se recusou, preferindo se submeter a um rigoroso regime de treino e melhorar seu físico significativamente para o papel. David Prowse, que “interpretou o corpo” de Darth Vader em Star Wars, o ajudou muito nesse sentido, servindo como espécie de personal trainer.

Os treinos deram muito certo: Reeve ganhou mais de 11 quilos para o papel e não precisou do traje muscular.

Resultado de imagem para christopher reeve superman

Teve outros dois papéis em Superman: O Filme

Além de interpretar Superman/Clark Kent, Christopher Reeve teve outros dois papeis em Superman: O Filme. Foram trabalhos de voz.

Reeve, um piloto em tempo livre, forneceu voz para o controlador de tráfego aéreo de Metrópolis, personagem que nunca chega a aparecer.

O outro papel foi mais importante: Reeve dublou todas as falas de Jeff East como o jovem Clark Kent. Ou seja, aparecer de ele não ter sido o jovem Clark, era sua voz. Isto foi realizado através do processo de edição.

Resultado de imagem para christopher reeve superman flying

Seu voo permitiu novas tecnologias

Fazer o Superman voar provou ser um grande desafio. Inicialmente, a equipe criativa queria apenas usar a projeção frontal, com Christopher Reeve pendurado nos fios diante das imagens que se moviam. No entanto, isso não parecia realista o suficiente.

Como solução, o assistente de efeitos especiais Zoran Peresic inventou uma nova tecnologia com uma função de zoom à câmera e ao projetor.

Isso significava que Richard Donner poderia dar um zoom em Reeve em voo, enquanto permitia que a imagem de fundo recuasse para a distância atrás dele. Isso criava uma maior ilusão de movimento e permitiu mais liberdade para o cineasta.

Muitas cenas incríveis foram criadas com efeitos práticos

As imagens geradas por computador estavam engatinhando na década de 1970, o que significa que Superman: O Filme é dominado por efeitos práticos.

A cena em que um irritado jovem Clark chuta uma bola para muito longe, por exemplo, foi feita totalmente com efeitos práticos. Havia um canhão escondido na cena, que joga a bola para longe quando o ator move a perna, dando a ilusão de um super-chute.

A cena em que Superman voa, Lois caminha até a porta e Clark Kent entra também foi gravada de maneira inteligente no set. Não há nenhum corte entre Superman saindo e Clark chegando, o que foi possível graças à projeção.

Ele não recebeu grande salário

Christopher Reeve pode ter se imortalizado como Superman, mas não recebeu muito dinheiro pelo papel. Por Superman: O Filme, ele ganhou apenas US$ 250 mil.

Por outro lado, Marlon Brando ganhou US$ 3,7 milhões e Gene Hackman levou US$ 2 milhões por sua performance como Lex Luthor.

Reeve nunca reclamou por ter recebido pouco, declarando que era eternamente grato ao papel por “trazer muitas novas oportunidades, em vez de fechar portas”.

Marlon Brando não queria gravar falas

Apesar de muito talentoso, Marlon Brando também ficou muito relutante em determinado momento da carreira. Ele recebeu um baita salário, mas não queria gravar falas em Superman: O Filme.

Em vez disso, ele lia as falas ao vivo. Placas e folhas com as falas eram colocadas em diferentes pontos do set para que ele pudesse lê-las.

Além disso, Brando também fez uma exigência estranha: ele queria que Jor-El tivesse o mesmo símbolo do Superman em seu traje. Curiosamente, essa ideia pegou e foi por causa disso que o “S” virou o símbolo da casa de El.

O diretor usou um truque para convencer Gene Hackman a raspar o bigode para viver Luthor

Aqui está uma curiosidade muito divertida sobre Superman: O Filme. Gene Hackman aceitou viver o vilão Lex Luthor, mas não estava convencido de que era uma boa ideia raspar seu bigode para o papel.

Inteligente, o diretor Richard Donner fez o seguinte: ele disse a Hackman que também tinha muito ciúme de seu bigode e que, se ele o raspasse, também rasparia o seu. Eles se encontraram no set e Hackman raspou o bigode, mas tudo não passava de uma pegadinha: Donner estava usando um bigode falso para enganá-lo na aposta.

Hackman não ficou contente e, por causa disso, decidiu que também não rasparia o cabelo. É por causa disso que Lex Luthor aparece com cabelo durante todo o filme (para o personagem, era uma peruca). Ele é careca na última cena porque Hackman usou uma touca.

Metrópolis na Inglaterra?

Os produtores Alexander e Ilya Salkind se afastaram da franquia quando chegou a hora de Superman 4. O quarto filme de Superman, estrelado por Reeve, foi produzido pela Cannon Films, que reduziu muito o orçamento.

Você provavelmente já sabe que o filme foi criticado e teve um desempenho abaixo do esperado nas bilheterias, mas talvez não saiba disso: o orçamento era tão pequeno que Superman 4 teve que ser gravado em uma cidade da Inglaterra chamada Milton Keynes. Hidrantes, vendedores de cachorro-quente e carros americanos foram trazidos para fazer a cidade britânica se parecer mais com Nova York.

A grande e brilhante estação ferroviária de Milton Keynes atuou como um espaço reservado para o edifício das Nações Unidas em Nova York. Christopher Reeve e o diretor Sydney Furie imploraram para que as gravações acontecessem nos Estados Unidos, mas não rolou.