A Netflix lançou nesta sexta-feira (4) sua mais recente aposta em filme original, e que consiste em mais uma adaptação de Stephen King: o terror Campo do Medo.

Porém, a recepção do longa foi bem negativa, o que nos leva à aquele momento de mais uma vez revisitar quais foram os piores filmes que se basearam no trabalho do autor.

Confira abaixo.


Campo do Medo

A colaboração de Stephen King com a Netflix vinha dando certo, vide o sucesso de Jogo Perigoso e 1922. O raio não caiu no mesmo lugar com Campo do Medo, que foi detonado pela crítica e público, considerado entediante e repetitivo.

Carrie: A Estranha

A primeira adaptação de Brian de Palma para Carrie é fenomenal, e um dos grandes clássicos da década de 70. Já o remake de 2013, ainda que bem dirigido e produzido, erra feio na escalação de Chloe Grace Moretz, que ajuda a transformar o filme em uma experiência quase insuportável.

O Apanhador de Sonhos

Nem mesmo Stephen King é um grande admirador de seu livro, confessando que foi escrito sob influência de drogas. A adaptação para os cinemas não foi muito melhor, principalmente pelo roteiro absurdo e o visual risível de suas criaturas, que são motivo de piadas até hoje.

It: A Obra-Prima do Medo

Antes de termos as duas adaptações bilionárias da Warner Bros com Bill Skarsgard, a história do palhaço Pennywise foi contada na TV com um telefilme de 3 horas. Por mais que a estrutura da história seja fiel, o péssimo elenco e a direção capenga não ajudam. Só o Pennywise de Tim Curry torna esta versão de It divertida.

Sonâmbulos

Tecnicamente, Sonâmbulos não é uma adaptação de Stephen King, já que não é inspirado por nenhum livro ou conto do autor. Mas como King é roteirista, não poderíamos falar de trabalhos negativos do autor sem mencionar sua infame história de “gatosomens” que alimentam de garotas virgens.

A Torre Negra

Um dos maiores épicos de Stephen King acabou rendendo um dos filmes menos impressionantes e decepcionantes dos últimos anos. Um bom elenco é desperdiçado em uma aventura sem pulso, apressada e que falha em transportar a mitologia fascinante dos livros da Torre Negra.

Celular

Daqueles filmes que você pensa: existiu mesmo? John Cusack e Samuel L. Jackson reprisaram a parceria de 1408 sem o menor alarde, em um terror que não assusta e que pode provocar diversos risos involuntários.