The Walking Dead está retornando com sua 10ª temporada neste domingo e apesar do sucesso de crítica da última temporada, o fato é que a série de zumbis sempre teve seus altos e baixos.

Em muitas temporadas o roteiro deixou a desejar e The Walking Dead repetiu fórmulas antigas que não costumam funcionar mais. O WhatCulture listou os piores momentos da série.

Guerra Total

Um dos melhores arcos dos quadrinhos de The Walking Dead, “Guerra Total” foi totalmente destrúido pela série. A construção para a chegada de Negan criou uma expectativa que nunca foi correspondida quando os heróis entraram de fato em combate com o vilão.


Diversas cenas dos quadrinhos foram excluídas, personagens importantes nunca estiveram em perigo – o que tirou a emoção das cenas – e tudo isso transformou aquela que deveria ser a história mais empolgante de The Walking Dead em algo sem graça e desinteressante.

A busca por Sophia

A interminável busca por Sophia, a filha de Carol, praticamente estragou a segunda temporada de The Walking Dead.

O episódio em que a garota é encontrada – já transformada em zumbi – é um dos melhores de The Walking Dead, mas a maneira em que esse arco foi desnecessáriamente estendido por diversos episódios irritou até mesmo o espectador mais paciente.

Morgan, Rick e moralidade

Um dos maiores problemas de The Walking Dead sempre foi a caracterização de personagens e Rick e Morgan sofreram bastante com isso.

Rick quer ajudar as pessoas ou quer matar todos que estão em seu caminho? Morgan quer preservar a vida humana ou quer se portar como um psicopata que mata sem piedade? The Walking Dead mudava seus personagens a cada temporada e eles se mostravam cada vez mas inconsistentes.

A “morte” de Glenn

A sexta temporada de The Walking Dead foi boa no geral, mas ele teve um dos piores momentos da série até hoje. No terceiro episódio, os roteiristas tiveram a “brilhante” ideia de fingir a morte de Glenn, dando a entender que ele havia sido devorado por zumbis.

De maneira patética, o personagem reaparece vivo ao longo da temporada, revelando que ele se escondeu em baixo de uma lixeira depois de usar o corpo de Nicholas como um escudo. Esse momento foi um claro desrespeito à inteligência dos fãs de The Walking Dead.

Andrea e o Governador

A 3ª temporada de The Walking Dead foi uma bagunça e a morte de Andrea é a prova disso.

Além das motivações patéticas da personagem e de seu romance confuso com o vilão Governador, Andrea se despediu de The Walking Dead de uma forma totalmente sem propósito, o que foi um desperdício de uma personagem tão boa dos quadrinhos.

A morte de Carl

O criador dos quadrinhos de The Walking Dead, Robert Kirkman, sempre afirmou que a história era na verdade sobre Carl Grimes, o filho de Rick. Infelizmente a série decidiu jogar tudo isso no lixo, matando o personagem apenas para “chocar” a audiência.

Essa decisão não foi apenas uma escolha ruim de roteiro, mas prejudicou totalmente o futuro de The Walking Dead.

A introdução de Negan

O grande momento dos quadrinhos de The Walking Dead é a introdução de Negan na edição #100, onde o personagem assassina Glenn brutalmente com Lucille. Ao invés de adaptar a história dos quadrinhos de maneira fiel, a série decidiu “esconder” a vítima de Negan no último minuto, criando um mistério estúpido que se arrastou por seis meses.

A medida, que visava ganhar audiência de uma maneira baixa, funcionou em certo ponto. O primeiro episódio da 7ª temporada de The Walking Dead teve uma audiência enorme, mas depois disso, a série nunca se recuperou dessa decisão e os espectadores que antes eram fiéis, começaram a abandonar o show.

Daryl e Carol devem ficar juntos na 10ª temporada, afinal, eles são almas gêmeas! As saídas de personagens importantes estão acabando com The Walking Dead? Você viu que uma personagem morta na 9ª temporada vai virar “fantasia” dos sussurradores na 10ª temporada? Confira a prova de que os Sussurradores vão matar de novo e muito mais no Observatório de Séries.

The Walking Dead retorna com sua 10ª temporada neste domingo, na FOX.