Grey’s Anatomy se estabeleceu como o drama médico mais influente e duradouro de todos os tempos, investindo principalmente em um equilíbrio interessante entre as vidas pessoais dos médicos e o trabalho dos personagens nos hospitais.

Shonda Rhimes até tenta manter a fidelidade dos temas da série com a realidade da medicina, porém várias vezes, personagens cometeram delitos graves que com certeza causariam demissões.

Grey’s Anatomy está trabalhando exatamente essa trama em sua temporada atual. Meredith, Alex, DeLuca e Webber foram demitidos do Grey Sloan após uma fraude em seguro de saúde.


Confira abaixo os momentos de Grey’s Anatomy em médicos deveriam ter sido demitidos!

Jo e o estagiário

Na 14ª temporada de Grey’s Anatomy, Jo acabou dormindo com Schmitt, que na época havia começado a trabalhar no hospital como estagiário. Essa não foi a primeira vez em Grey’s Anatomy que um médico desenvolveu um affair com um estagiário ou residente. Na vida real, a situação com certeza desencadearia consequências graves, já que o ambiente de trabalho deve permanecer profissional.

Alex e DeLuca

Alex Karev até chegou a enfrentar repercussões após se envolver em uma briga feia com o colega Andrew DeLuca. Porém, no final das contas, o médico conseguiu manter o emprego. Em qualquer hospital da vida real, quem começou a briga com certeza seria mandado para o olho da rua.

Bebendo e trabalhando

Na sexta temporada de Grey’s Anatomy, os problemas de Richard Webber com a bebida se tornaram um dos principais arcos do personagem. Webber chegou a trabalhar alcoolizado algumas vezes, e parte dos colegas decidiu fechar os olhos para o que estava acontecendo.

A esponja

O caso de Callie e a esponja na 10ª temporada de Grey’s Anatomy é bastante complicado. Quando um paciente ficar nervoso no meio de uma cirurgia e exige ser “fechado” rapidamente, Callie deixa uma esponja dentro de seu corpo. A decisão da médica foi apontada como responsável por uma infecção no paciente e subsequentemente a amputação de suas pernas. Callie foi processada, mas se negou a admitir negligência.

Uma decisão complicada

Também na 10ª temporada de Grey’s Anatomy, Miranda Bailey utiliza uma versão desativada do vírus HIV para tratar uma condição na medula óssea de um jovem paciente. A médica toma a decisão sem o consentimento dos pais do garoto, e vai exatamente contra os desejos da família. Na vida real, Bailey não teria sido apenas demitida, mas com certeza processada criminalmente.

Confusão na cirurgia

Nos seus primeiros anos em Grey’s Anatomy, April cometeu alguns erros terríveis. A personagem chegou a ser demitida na 6ª temporada, após mandar o paciente errado para uma cirurgia. No entanto, April ganhou o emprego de volta quando Derek se tornou o chefe do hospital.

Médicos e pacientes

Todo médico sabe que relacionamentos amorosos com pacientes ferem a ética da profissão. Os personagens de Grey’s Anatomy, no entanto, não entendem essa regra. Izzie se envolve em um romance com Denny, mesmo ele não sendo seu paciente direto. Depois, Alex Karev se apaixona por Rebecca Pope, paciente com amnésia que ele resgata de um acidente.

Os estagiários

Grey’s Anatomy parece ter a tradição de contratar estagiários com péssimas capacidades de julgamento. Na 5ª temporada, a nova turma de estagiários do hospital decide realizar procedimentos cirúrgicos uns nos outros como treinamento.

Cristina e Burke

Após ser baleado no final da 2ª temporada de Grey’s Anatomy, Burke esconde o fato de estar sentido tremores nas mãos, e continua fazendo cirurgias normalmente. Cristina sabia de tudo, mas prefere cobrir os rastros do então amado. Na vida real, provavelmente os dois seriam demitidos.

A decisão de Izzie

O erro médico mais famoso de Grey’s Anatomy envolve Izzie Stevens e Denny Duquette. Em uma atitude realmente bizarra, Izzie corta o fio LVAD de Denny com a intenção do paciente piorar sua doença e ganhar uma posição mais avançada na lista dos transplantes. O resultado, é claro, foi uma verdadeira tragédia.

Grey’s Anatomy exibe atualmente sua 16ª temporada.