Coringa não é um filme para crianças. É para maiores e conta com muita violência e linguagem obscena.

Durante o decorrer do filme, o personagem principal comete todos os tipos de atos hediondos, desde assassinatos a sangue frio a invasões e roubos.

Aqui uma lista com algumas das piores ações do Coringa interpretado por Joaquin Phoenix.


Roubou arquivos médicos de sua mãe

Ao investigar se as alegações de Thomas Wayne sobre a saúde mental de sua mãe são verdadeiras, o Coringa vai ao Hospital Estadual Arkham para encontrar seus registros.

Quando o funcionário se recusa a entregar o arquivo sem a documentação adequada, ele rapidamente pega a pasta e luta com o empregado até que os papéis estejam firmemente em suas mãos.

Não temos certeza da sentença que receberíamos por roubar registros oficiais do estado, mas não é nada comparado à sentença que ele receberia por seus outros crimes. Foi um ato relativamente inofensivo, mas que inicia transgressões mais graves.

Perseguiu Sophie

Sophie é a vizinha de Arthur e ele claramente guarda algum carinho por ela. Dado seus problemas, ele escolhe expressar isso perseguindo-a na escola e no local de trabalho da filha.

Ele não tenta entrar em contato com ela, mas ela o percebe e o confronta em seu apartamento… ou pelo menos é nisso que o público é levado a acreditar neste momento do filme.

Sua reação à confissão dele é leve, e ela a interpreta como uma piada, o que, em retrospectiva, foi o primeiro sinal de que as coisas não são o que parecem.

Matou a mãe

Depois de descobrir o encarceramento passado de sua mãe e as mentiras que ela lhe alimentou ao longo de sua vida, Arthur faz sua última visita enquanto ela está no hospital. Depois de um breve monólogo, ele pega um travesseiro e a sufoca até que ela morra.

Na vida real, dizem que um travesseiro é uma ferramenta terrível para essa tarefa, pois o ar pode facilmente chegar à vítima em potencial, mas serve ao seu propósito nos filmes.

Provavelmente é muito mais fácil fazer isso quando a alma infeliz está em um estado enfraquecido, como a mãe de Arthur.

Invadiu o apartamento de Sophie

Depois de acabar com sua mãe adotiva, ele invade o apartamento de sua “namorada”. Quando ela entra na sala para encontrá-lo sentado no sofá, Sophie fica congelada de medo.

É aqui que o público descobre que seus encontros anteriores eram apenas fantasias de Arthur. Ela implora para ele sair e a próxima cena mostra ele saindo do apartamento enquanto uma música sinistra toca.

Sophie nunca aparece no filme novamente e, embora não vejamos sangue nele enquanto ele caminha, Arthur fica perturbado o suficiente neste momento para fazer o público acreditar que ele pode ter causado um dano grave a ela.

Leu a carta da mãe

Penny insiste que Thomas Wayne os ajudará quando receber suas cartas. Finalmente, Arthur decide violar a privacidade de sua mãe e ler uma carta, que diz que os dois tiveram um caso que resultou em Arthur. Isso o deixa furioso, e Penny admite que o que está escrito é verdade.

Embora isso acabe sendo uma mentira, Arthur considera verdadeiro já que nunca teve um motivo para não confiar em sua mãe. Infelizmente, eventos posteriores revelam o oposto. Ela raramente dizia a verdade.

Pelo menos é o que o filme nos leva a acreditar na maior parte do tempo.

Provavelmente matou a psiquiatra no fim

A última cena do filme mostra o Coringa caminhando lentamente pelos corredores de Arkham enquanto ele deixa um rastro de pegadas sangrentas.

Isso ocorre imediatamente após uma conversa entre ele e uma médica. Pode-se facilmente concluir que ele atacou e possivelmente matou a infeliz psiquiatra.

Ele se vira para um lado e corre rapidamente para o outro lado, enquanto vários auxiliares o perseguem e os créditos começam a rolar. É uma conclusão assustadora para uma história já perturbadora.

Perseguiu os Wayne

Depois de acreditar nas ilusões de sua mãe, Arthur vai à Mansão Wayne para uma reunião cara a cara com Bruce Wayne, que ele acha que é seu irmão biológico.

Ele tenta divertir o garoto com alguns truques de mágica, mas Alfred Pennyworth entra e faz Arthur sair. Mais tarde, ele se infiltra em uma exibição de Tempos Modernos de Charlie Chaplin para se encontrar cara a cara com Thomas Wayne, que o dá um soco na cara.

Matou três funcionários de Wayne

Arthur faz suas primeiras vítimas em um ato de autodefesa. Eles o espancaram em um vagão do metrô depois de já assediar uma mulher e ele pega uma arma e os mata.

A maioria argumentaria que ele foi muito além de simplesmente se defender, mas ele definitivamente não foi o único que agiu mal.

É este momento que desencadeia o movimento de construção ao longo do filme que culmina nos tumultos generalizados durante o clímax.

Incitou protestos violentos

Fiel ao espírito do personagem, Arthur não se preocupa com a segurança das pessoas até o final do filme.

No início, ele mostra misericórdia com as pessoas que o trataram bem, mas durante seu tempo no programa de Murray Franklin, ele parece contente em saber que inspirou as pessoas à violência e não se incomoda ao saber que elas levaram a mais mortes.

Ele não quer apenas ver o mundo queimar, mas está cada vez mais perto de queimar ele mesmo. Se esse Coringa retornar, alguém pode ter certeza de que fazer Gotham sofrer estará no topo de sua lista de prioridades.

Matou Murray Franklin

Como o apresentador de televisão noturno fez de Arthur o objeto de humilhação, ele faz questão de matá-lo pessoalmente no palco, diante de sua platéia. Ele faz isso abruptamente e, assim, Murray está fora de cena.

O ato representa uma declaração maior, no entanto, já que Robert De Niro interpretou dois personagens semelhantes a esse Coringa em Taxi Driver e O Rei da Comédia.

É como se o filme estivesse dizendo que Arthur é muito mais louco e sinistro do que esses dois anti-heróis icônicos juntos.