Antes mesmo de seu lançamento, Coringa se envolveu em várias polêmicas. Muitos consideraram o filme “perigoso”, e temiam ataques armados e atos de violência em sessões. Até agora, nada aconteceu.

Além disso, quem já assistiu Coringa sabe que o filme na verdade é um interessante comentário sobre a inequalidade social e a desigualdade entre ricos e pobres, não a jornada de um homem psicótico que mata apenas por matar.

Coringa não foi o primeiro filme a ser rotulado como “perigoso” por críticos e jornalistas. Várias outras obras do cinema foram mal-entendidas em seus lançamentos e contaram com boa dose de polêmica.


Confira alguns exemplos abaixo!

Assassinos Por Natureza

Assim como Coringa, Assassinos Por Natureza supostamente tinha “potencial de incentivar violência”. O filme de Oliver Stone foi lançado em 1994, e conta a história de um casal de assassinos em uma jornada de violência e morte pelos Estados Unidos. Ironicamente, a mesma mídia que classificou o filme como “uma maratona de assassinatos”, ignorou o fato do longa na verdade ser uma sátira cômica sobre a obsessão do jornalismo com assassinatos e atos de violência. Hoje, Assassinos Por Natureza é considerado um clássico cult.

O Primeiro Homem

O Primeiro Homem foi considerado “tóxico”, especialmente pela mídia de direita, por um motivo bem diferente de Coringa e outros filmes desta lista. O longa de Damien Chazelle conta a história da chegada do homem à lua, foi considerado “anti-patriótico” por muitos americanos, simplesmente por não mostrar Buzz Aldrin fincando a bandeira dos Estados Unidos no satélite. Muitos consideraram a escolha um ato político, mas Chazelle negou afirmando que apenas escolheu focar em outros aspectos da missão.

Tropas Estelares

Parte dos filmes desta lista sofreu pela inabilidade de críticos e jornalistas entenderem suas nuances, subtemas e entrelinhas. Tropas Estelares foi um deles. Lançado em 1997, o filme de Paul Verhoeven foi considerado por muitos “uma desconfortável propaganda fascista”. No entanto, qualquer um que assista pelo menos alguns minutos do filme, vai perceber que a história na verdade é uma sátira ao fascismo e a glorificação da guerra, se desviando completamente do livro no qual foi baseado.

Caça-Fantasmas (2016)

O reboot de Caça-Fantasma pode não ter sido considerado “tóxico” ou “perigoso”, mas foi encarado com bastante polêmica e controvérsia desde seu anúncio. A ideia de um reboot protagonizado apenas por mulheres não agradou muitos fãs do filme original, que choraram pela suposta “perda da infância”. O primeiro trailer do longa se manteve por muito tempo como o vídeo mais “descurtido” do YouTube, e embora o filme tenha agradado parte do público mais moderno, não conseguiu fazer sucesso nas bilheterias.

Taxi Driver

Taxi Driver foi uma das principais influências de Todd Phillips para a produção de Coringa, e assim como o filme da DC, foi alvo de polêmica antes e depois de seu lançamento. O filme acompanha a história de Travis Bickle, interpretado por Robert De Niro, um veterano de guerra cuja insanidade o leva em uma jornada para assassinar um candidato a presidente. 5 anos depois do lançamento do filme, John Hinckley Jr. tentou assassinar o então presidente americano Ronald Reagan para impressionar Jodie Foster, atriz com a qual teria ficado obcecado após o filme de Martin Scorsese.

A Hora Mais Escura

Produzido por Kathryn Bigelow, A Hora Mais Escura acompanha a história da busca por Osama Bin Laden e a subsequente morte do terrorista. Mesmo sendo um dos filmes mais aclamados de 2012, o longa foi envolvido em uma polêmica logo na época de seu lançamento. Muitos consideraram que o filme fazia apologia à tortura ao mostrar como os americanos conseguiram informações sobre o paradeiro do líder da Al Qaeda.

O Brinquedo Assassino 3

Lançado em 1991, O Brinquedo Assassino 3 causou um verdadeiro pânico moral no Reino Unido. O filme foi acusado no tribunal da opinião pública de influenciar o assassinato de Jamie Bulger, um garoto de 2 anos morto dois dois outros meninos que assistiram o filme. Com o desenvolvimento das investigações, a relação entre o filme e a tragédia foi desmentida. Mesmo assim, a mídia não perdeu a oportunidade para acusar O Brinquedo Assassino 3 de “treinar” as crianças para atos de violência.

Clube da Luta

Na época de seu lançamento, Clube da Luta foi criticado basicamente pelos mesmos motivos de Coringa. No caso do filme de David Fincher, no entanto, as críticas faziam mais sentido dado o enredo do filme. O longa foi criticado por supostamente “empoderar” jovens brancos e revoltados, que usariam a violência (especialmente em grupos oprimidos) como “vingança” à sociedade. Assim como no caso de Coringa, o temor foi completamente infundado e nada de expressivo aconteceu por influência do longa.

A Serbian Film

A Serbian Film é um dos filmes mais polêmicos da história, e definitivamente não é para os fracos de coração (ou estômago). Pretendendo contar uma história sobre violência e exploração sexual, o filme de terror se perde em uma profusão de cenas chocantes e gráficas, envolvendo estupros, mutilações sexuais, pedofilia, necrofilia e até mesmo a violação sexual de um bebê recém-nascido. Não é surpresa que ele tenha sido censurado ou banido de diversos países, inclusive no Brasil.

Coringa continua em cartaz nos cinemas.