A Cerimônia do Globo de Ouro, prêmio entregue pela Hollywood Foreign Press Association (HFPA), acontece já neste domingo (5).

Celebrando o melhor do cinema e da TV do último ano, é o primeiro grande evento da temporada de prêmios. E vamos dar nossos palpites e previsões sobre os vencedores.

Confira abaixo.


Melhor Filme de Drama – Coringa

Estamos diante de uma das melhores temporadas de prêmios dos últimos anos, com diversos filmaços sendo lembrados e reconhecidos. E é em Drama onde encontramos alguns dos mais prestigiados de 2019. A Netflix vem com força com O Irlandês, mais recente obra-prima de Martin Scorsese, mas dado o apreço da HFPA pelo cinema comercial (afinal, Bohemian Rhapsody foi o vencedor no ano passado), Coringa emerge como uma boa aposta. 

Melhor Filme de Comédia/Musical – Era Uma Vez em Hollywood

Como o mais novo filme de Quentin Tarantino foi classificado para a categoria de comédia, ele automaticamente se torna o grande favorito – já que é um dos grandes jogadores da temporada. Deve levar, mas não subestimem a força dos queridinhos Jojo Rabbit e Rocketman, que vem se beneficiando de uma campanha forte da Paramount.

Melhor Direção – Bong Joon Ho (Parasita)

Quem assistiu ao sul-coreano Parasita sabe que não é brincadeira o que esse filme faz. É o favorito para Filme Estrangeiro (já chegaremos lá), e sua presença em Direção e Roteiro já mostra sua força. É o filme mais bem avaliado de 2019, e aposto em Bong Joon Ho para levar uma merecida estatueta de Direção. Se não for ele, a sorte pode girar para Quentin Tarantino ou até mesmo Todd Phillips, que não deve ser lembrado no Oscar.

Melhor Ator em Filme de Drama – Joaquin Phoenix (Coringa)

A ideia de um ator do calibre de Joaquin Phoenix interpretando um personagem tão rico quanto o Coringa já iniciou conversas de premiada mesmo antes das filmagens começarem. De lá pra cá, a performance poderosa de Phoenix o colocou à frente nessa disputa, mesmo com o ator se recusando a fazer campanha. Isso pode abrir vantagem para Adam Driver, um dos favoritos do ano com História de um Casamento. Mas a aposta está no Palhaço do Crime.

Melhor Atriz em Filme de Drama – Renée Zellweger (Judy)

Por mais forte que seja a temporada, é inevitável fugir dos Oscar bait: filmes produzidos com o único intuito de levar prêmios. Judy é um perfeito exemplo disso, e o longa se sustenta pela performance bem trabalhada de Renée Zellweger como a atriz e cantora Judy Garland. É a favorita pelo “prestígio”, mas eu não ficaria surpreso de Scarlett Johansson (merecidamente) levasse o prêmio.

Melhor Ator em Filme de Comédia/Musical – Taron Egerton (Rocketman)

Uma categoria repleta de grandes atores, e o amor da HFPA por Leonardo DiCaprio já foi demonstrado diversas vezes no passado. Justamente por isso, apostar em Taron Egerton, excelente em sua performance como Elton John em Rocketman, parece uma escolha sábia – e encaminharia o ator para uma merecida indicação ao Oscar. Mas fiquem de olho em Eddie Murphy, sensacional em Meu Nome é Dolemite.

Melhor Atriz em Filme de Comédia/Musical – Awkwafina (The Farewell)

Uma categoria bem menos competitiva do que drama, e que resume as prováveis vencedoras a dois nomes: Awkwafina, pelo melancólico The Farewell e Ana de Armas, no divertido Entre Facas e Segredos. Ambos os papéis exigem muito mais drama do que comédia de suas atrizes, e qualquer uma das escolhas seria acertada. Dado o prestígio do filme de Lulu Wang, a aposta fica com Awkwafina.

Melhor Ator Coadjuvante – Brad Pitt (Era Uma Vez em Hollywood)

Desde que Era Uma Vez em Hollywood foi lançado, Brad Pitt dominou as manchetes com sua performance descolada e carismática como Cliff Booth, o melhor personagem do filme. É um momentum que se manteve até agora, mesmo com a competição acirrada contra Al Pacino e Joe Pesci – além dos premiados Anthony Hopkins e Tom Hanks. O fato de Pitt nunca ter ganhado certamente ajuda, e é o que deve acontecer.

Melhor Atriz Coadjuvante – Jennifer Lopez (As Golpistas)

Temos uma corrida muito interessante na categoria de Atriz Coadjuvante. O boca a boca de As Golpistas favoreceu Jennifer Lopez, que tem o papel mais divertido e chamativo do longa, e emerge como a favorita. Mas há muita força para Laura Dern, excelente em História de um Casamento.

Melhor Roteiro – História de um Casamento

Só temos roteiros excelentes nessa categoria, o que demonstra a qualidade da temporada. Mas se há um filme aqui onde realmente enxergamos a força das palravas é História de um Casamento, um longa todo pautado em disputas verbais e longos monólogos, e que parece bem encaminhado para a vitória. Além do mais, a ausência de Baumbach em Melhor Direção deve ser compensada aqui. Porém, nunca subestimem Tarantino.

Melhor Filme Estrangeiro – Parasita

Precisa falar muita coisa? O filme de Bong Joon Ho foi o mais elogiado de 2019, estando presente até mesmo em duas categorias principais do Globo de Ouro. Se a vitória não acontecer aqui, podem esperar um apocalipse zumbi.

Melhor Animação – Toy Story 4

A Disney dominou essa categoria, inclusive com uma indicação curiosa a O Rei Leão (o estúdio o inscreveu como live-action, e não animação). Como Frozen 2 não foi o acerto grandioso que muitos esperavam, deve ficar para a Pixar e o aclamado Toy Story 4. De qualquer forma, o Mickey ganha essa rodada.

Melhor Trilha Sonora – Coringa

Uma boa curiosidade para os aficcionados: mais uma vez temos uma disputa pai contra filho com Randy e Thomas Newman (História de um Casamento e 1917, respectivamente). O filho nunca ganhou, enquanto o pai é um dos recordistas da categoria, mas acredito que ambos ficarão para trás com Hildur Guðnadóttir e sua assombrosa música de Coringa.

Melhor Canção Original – “I’m Gonna Love Me Again” (Rocketman)

Uma categoria sempre difícil de prever, mas que há meses vem apontando para Rocketman como favorito. Elton John traz uma música inédita para sua cinebiografia, o que deve render uma vitória fácil – mesmo com Beyoncé e Taylor Swift na disputa.

TELEVISÃO

Melhor Série de Drama – The Morning Show

Com o fim de Game of Thrones sendo merecidamente esnobado, e diversas outras séries consagradas acabando, é hora do novo sangue. Como a HFPA adora celebrar novas séries, o buzz em cima de The Morning Show, série que inaugura o serviço de streaming da Apple TV+, é bem forte. Mas fiquem de olho também em Succession.

Melhor Ator em Série de Drama – Brian Cox (Succession)

Billy Porter limpou todos os prêmios da categoria no ano passado, e volta com força para a segunda temporada de Pose. Porém, a sorte parece voltar para Brian Cox, dado o poder e a coleção de críticas positivas que Succession tem em seu novo ano. Há o fato também de Mr. Robot, com Rami Malek, ter encerrado sua temporada final, então podemos esperar por isso também.

Melhor Atriz em Série de Drama – Jennifer Aniston (The Morning Show)

A presença de Olivia Colman, recém-saída de sua vitória do Oscar por A Favorita, é bem forte aqui. Porém, levando em conta que a HFPA deve celebrar The Morning Show, a vitória de Jennifer Aniston (e não sua colega de cena, Reese Witherspoon) deve vir como um acompanhamento merecido.

Melhor Série de Comédia – Fleabag

Após uma primeira temporada que passou por poucos radares, o mundo enlouqueceu por Fleabag em seu segundo ano. A série saiu vitoriosa no Emmy, deixando Veep, Barry e The Marvelous Mrs. Maisel para trás, e o mesmo certamente deve acontecer com a HFPA.

Melhor Ator em Série de Comédia – Bill Hader (Barry)

Após duas temporadas sensacionais, Bill Hader está com tudo graças à ótima série da HBO. O ator já foi consagrado pela primeira temporada de Barry, e tudo indica que ele sairá com o prêmio mais uma vez.

Melhor Atriz em Série de Comédia/Musical – Phoebe Waller-Bridge (Fleabag)

O mundo foi tomado pelo furacão de Fleabag no ano passado, e sua criadora/estrela, Phoebe Waller-Bridge, é a grande responsável. Se a comediante britânica conseguiu triunfar sobre o último ano de Julia Louis Dreyfus em Veep, uma vitória no Globo de Ouro é fichinha.

Melhor Minissérie – Chernobyl

Um dos maiores sucessos da HBO dos últimos anos, e também uma das séries mais elogiadas de sua história. Chernobyl foi um dos assuntos mais comentados de 2019, além de ter sido consagrada no Emmy. Vitória fácil.

Melhor Ator em Minissérie – Jared Harris (Chernobyl)

Jared Harris não conseguiu a estatueta de Melhor Ator no Emmy, tendo perdido para Jharrel Jerome (de Olhos que Condenam). Como o talentoso jovem ator não foi lembrado aqui, Harris vira favorito e pode se consagrar – afinal, ele nunca ganhou um prêmio da HFPA, já tendo sido indicado algumas vezes por Mad Men.

Melhor Atriz em Minissérie – Michelle Williams (Fosse/Verdon)

Uma disputa acirrada com as atrizes de Inacreditável e Michelle Williams, extremamente elogiada por sua performance como a dançarina da Broadway Gwen Verdon. A série da FX segue bem posicionada, e apostaremos na sempre elogiada Williams para vencer.

Melhor Ator Coadjuvante em Série ou Minissérie – Andrew Scott (Fleabag)

Seguindo a onda do fenômeno Fleabag, vamos apostar em Andrew Scott, que viveu o principal interesse amoroso da protagonista na segunda temporada; o “padre sexy”. É uma categoria difícil, já que combina coadjuvantes de drama, comédia e minissérie, mas nossas fichas vão para Scott – que já vinha merecendo algum prêmio desde sua participação em Sherlock.

Melhor Atriz Coadjuvante em Série ou Minissérie – Helena Bonham Carter (The Crown)

Por mais que Meryl Streep seja o destaque absoluto da segunda temporada de Big Little Lies, Helena Bonham Carter conquistou a todos no mais recente ano de The Crown. Mesmo com Olivia Colman dominando a cena, a atriz consegue brilhar como a Princesa Margaret – com quem a atriz afirma ter tido “contatos paranormais”.