Russell Crowe

O ator Russell Crowe compareceu ao AACTA Awards, o “Oscar australiano”, na quarta (06), e seu discurso por lá causou revolta na internet.

Isso porque o ator fez uma piada infeliz sobre “molestar” sua colega de cena, Lacqueline McKenzie, no filme Skinheads – A Força Branca (1992).

“Eu queria falar sobre o que nos une, não o que nos separa. Há duas coisas que nos une: nossa paixão pela nossa arte, e a nossa sensitividade”, começou o ator, inesperadamente continuando o discurso com uma “anedota” do set do filme.


“Eu estava molestando Jacquie McKenzie no set de Skinheads e eu não queria de fato molestá-la, eu estava tentando deixar meus órgãos genitais o mais longe dela possível. Ela estava usando aquele pedaço de elástico que eles são para as meninas quando elas tem que fazer as cenas de sexo, que as protege disso, e meus órgãos também estavam em uma espécie de ‘tapa-sexo'”, contou.

“Eu estava tentando achar um jeito de fazer a cena, apenas isso. Foi só na noite de estreia do filme que a mãe de Jaquie me contou que, para a filha dela, nós tínhamos feito sexo naquele dia. Isso foi apenas uma história sobre sensibilidade”, concluiu.

McKenzie usou o Facebook para responder ao bizarro discurso de Crowe. “Russell e eu muitas vezes já rimos juntos do quão terrível foi a filmagem daquela cena. Estávamos tentando proteger a nossa modéstia, sermos sensíveis com o sentimento dos outros, mas quando o diretor gritou ‘ação’, o que estava escrito no roteiro era muito violento e explícito. Éramos, ambos, muito novos na indústria. Foi constrangedor para nós dois”, esclareceu.

Já Crowe disse, em entrevista a uma rádio australiana nessa quinta (07), que “só quis fazer as pessoas rirem” com o discurso (via TheWrap) – assista ao discurso mais abaixo.

O ator retorna aos cinemas em Boy Erased, programado para lançamento em data não especificada de 2018.