As sequências de Max Mad: Estrada da Fúria podem não acontecer graças a uma briga judicial entre o diretor George Miller e o estúdio Warner Bros.

O longa estrelado por Charlize Theron e Tom Hardy bateu perto dos US$ 400 milhões na bilheteria e venceu seis Oscar, o que levou muitos a acreditarem que uma continuação aconteceria em breve – mas é melhor esperar sentado.

O Sidney Morning Herald teve acesso a documentos do processo iniciado por Miller contra a Warner. Segundo o diretor, o estúdio falhou em pagar a ele um bônus prometido por entregar o filme abaixo do orçamento originalmente planejado, de US$ 157 milhões.

Em resposta, a Warner diz que o filme estourou o orçamento planejado, graças a US$ 30 milhões adicionais gastos em refilmagens – inclusive um novo final, que Miller por sua vez insiste que foi imposto pela Warner, e que portanto esse valor não deveria ser computado no acordo inicial.

O processo ainda diz claramente que “o relacionamento de confiança entre a Warner e Miller foi quebrado, o que impossibilita que eles trabalhem juntos em futuros filmes da franquia”.

Mad Max | Gal Gadot quase interpretou Furiosa no lugar de Charlize Theron

Anteriormente, Charlize Theron tinha revelado que um roteiro para o filme solo da Furiosa já estava pronto, e que a equipe de produção só esperava a aprovação de Miller para começar.