ALERTA DE SPOILERS

No Universo Marvel, e nos quadrinhos em geral, é difícil encontrar um vigilante mais frio, calculista e cruel do que Frank Castle. Desde sua criação, nos anos 70, o Justiceiro tem sido implacável, derrubando vilões e chefões do crime nas ruas.

Sua guerra contra o crime decorre de sua família ser morta em Nova York, assassinada a sangue frio, e é por isso que o Justiceiro tentou proteger inocentes em todo o mundo, mesmo que seus colegas não concordem com seus métodos.


E agora Frank tem coisas maiores com que se preocupar, porque ele acabou de descobrir que há um Justiceiro soviético que pode ser ainda mais mortal que ele na HQ Punisher: Soviet #1.

O novo Justiceiro

Enquanto este Justiceiro não está usando o símbolo do crânio, ele simplesmente tem a mesma filosofia de Frank, mas executa (sem trocadilhos) de uma maneira mais precisa e furtiva.

Frank não tem ideia de quem é esse fantasma, e se ele será um aliado ou rival. Não descobrimos o nome do assassino na primeira edição, mas quando Frank investiga um massacre em Sheepshead Bay, ele descobre corpos com tiros na cabeça precisos e limpos.

Não há desperdício, nem uma bala perdida na parede, e nenhum dos bandidos teve chance de sacar suas armas. Ele sente que o assassino usou um AK-47 para ser tão preciso com uma arma de alta potência e alto calibre, e Frank até parece um pouco assustado.

Ele rapidamente decifra de um contato do governo que o mafioso russo Konstantin Pronchenko é o alvo, enquanto tenta se legitimar, concentrando-se apenas na lavagem de dinheiro, em vez de armas, drogas e tráfico de pessoas.

O que impressiona Frank é o quão silenciosamente o Justiceiro 2.0 enfraqueceu o império de Pronchenko, atacando fortalezas da Europa à América Central e aos EUA, atingindo até mesmo os bandidos em áreas civis sem danos colaterais.

É algo que ele nunca foi capaz de fazer com tanta sutileza, e enquanto ele está admirado, Frank ainda é cauteloso, pois nunca experimentou alguém tão clínico, mesmo em seus anos de serviço militar.

Tudo isso vem à tona com uma perseguição que vê Frank torturando os Outriders, capangas de Pronchenko, para chegar ao chefe. Surpreendentemente, ele descobre que foi culpado por uma série de assassinatos dos quais não participou.

O encontro

Ele sabe que o próximo Justiceiro está limpando a cidade, e Frank quer respostas sobre o porquê e como. Quando a edição termina, ele corre para um tiroteio em massa em uma boate de Odessa, uma das articulações de Pronchenko, e encontra mais bandidos do gângster mortos em poças de sangue por lá.

Mas desta vez, o novo Justiceiro permanece em cena. Solicitações das próximas edições revelaram que ele é Valery Stepanovich, mas, assim como Frank, suas verdadeiras motivações e intenções permanecem incertas.

Tudo o que sabemos é que ele está sorrindo entre os corpos e tomando uma bebida no bar, indicando que está gostando da espera de Frank e se preparando para encontrá-lo.

Punisher: Soviet #1 já está à venda nas bancas de quadrinhos norte-americanas.