Como todo consumidor de historias de super-heróis bem sabe, nem todos aqueles que lutam contra a mal são pessoas brancas do sexo masculino. O Universo Cinematográfico da Marvel tem sido um dos principais agentes de conscientização para esse fato.

Mas segundo a atriz Chloe Bennet, uma das estrelas do seriado Agents of SHIELD, ainda há um longo caminho pela frente para atingir a igualdade de gênero e raça na oferta de papeis para esse tipo de produção. A atriz, que tem descendência chinesa, confessou ao The Daily Beast que chegou a mudar o seu nome artístico, passando de Chole Wang para Chloe Bennet, afim de conseguir melhores papeis.

“Na primeira audição em que eu fui, após ter mudado meu nome, eu consegui o papel. Então está bem clara a forma como Hollywood trabalha”, denunciou.


Bennet reconhece no entanto que a série na qual participa tem se destacado na promoção de talentos do sexo feminin, e de outras etinias além da causasiana.

“Eu sei que não é tão grande quanto os filmes, mas eu acho que estamos fazendo coisas grandes lá. Nossa showrunner [Maurissa Tancharoen] é uma mulher americana asiática, Ming-Na Wen é incrivelmente talentosa, e ela é chinesa. Eu sou metade chinesa, e nos temos Juan Pablo Raba [mexicano] e Natália Cordova-Buckley [colombiana]. Eu acho que nos realmente representamos o mundo. Eu estou orgulhosa de nosso show e orgulhosa do que estamos fazendo”.

Agents of SHIELD | Protagonista fala sobre morte no final da temporada

Sinais de mudança podem ser notadas no novo filme da Marvel, Capitão América: Guerra Civil, que introduz o ator negro Chadwick Boseman no papel de T’challa, o regente do fictício pais africano de Wakanda, e também o alter-ego do herói Pantera Negra.

Sinopse de Agents of SHIELD revela grande spoiler de Capitão América: Guerra Civil