Em nova matéria do THR, as reclamações da família Versace em relação a American Crime Story são aprofundadas e revela-se que a principal fonte de contenção entre produtores e família é o retrato de Gianni Versace como portador de HIV.

A escritora Maureen Orth, que assinou o livro que serve como base para a série, defende a informação de seu material.

“Um policial que viu os relatórios de exames de sangue de Gianni, feitos após a morte dele, me disse que ele era HIV-positivo. Além disso, tenho relatos de outras testemunhas que viram Gianni fraco, com seu namorado Antonio tendo que ajudá-lo a andar, ou tomando dezenas de remédios por dia”, conta a escritora.


O roteirista Tim Rob Smith, que adaptou o livro para a TV, também apoia a declaração. “Se você olha para os fatos, ele ficou muito doente por um tempo e se recuperou bem na época em que a nova terapia para HIV começou a ser usada. As coisas se encaixam, mas mesmo que fosse qualquer outra doença, o que é incrível para mim é como esse homem se agarrou à vida. A vida era importante para ele”, diz.

Releia as críticas da família Versace à série

Gianni (Edgar Ramirez) foi morto em 1997 pelo serial killer Andrew Cunanan (Criss). Ricky Martin interpretará o modelo Antonio D’Amico, parceiro de longa data de Gianni, enquanto Penélope Cruz é sua irmã (e sucessora) Donatella.

A segunda temporada da antologia da FX vai ao ar a partir de 17 de janeiro de 2018.

Penélope Cruz pediu bênção de Donatella Versace para interpretá-la