A família Versace redobrou suas críticas a American Crime Story em uma nova declaração que ataca o livro no qual a série foi baseado como “cheio de fofoca e especulações”.

A briga começou quando os Versace divulgaram uma primeira nota criticando a série, que retratará o assassinato de Gianni Versace na sua segunda temporada, como “pura ficção” – ao que Ryan Murphy respondeu citando o livro no qual se baseou.

“A companhia que produz a série clama que está confiando em um livro de Maureen Orth, mas o livro em si é cheio de fofoca e especulação”, diz o novo texto liberado pela família. “Orth nunca recebeu nenhuma colaboração da família, e não tem base nenhuma para dizer qualquer coisa sobre a vida íntima de Gianni Versace ou outros membros da família”.


“Como um exemplo: Orth faz especulações sobre o estado de saúde de Gianni quando foi assassinato, baseada no relato de alguém que supostamente teria visto o resultado da biópsia, mas ela admite que teria sido ilegal para essa pessoa ver esse resultado. Ela ignora informações contrárias às suas alegações providas por membros da família do Sr. Versace para criar sua história sensacionalista”, continua o texto.

“Gianni Versace era um homem corajoso e honesto, que fez trabalho humanitário para o benefício de outros. De todos os retratos possíveis de sua vida e legado, é triste e repreensível que os produtores escolheram apresentar a versão distorcida e falsa criada por Maureen Orth”, conclui.

Gianni (Edgar Ramirez) foi morto em 1997 pelo serial killer Andrew Cunanan (Darren Criss). Penélope Cruz está no elenco como Donatella, e Ricky Martin interpretará o modelo Antonio D’Amico, parceiro de longa data de Gianni.

A segunda temporada da antologia da FX vai ao ar a partir de 17 de janeiro de 2018.

Donatella pediu para sua filha ser retirada da série