Robin Wright, a Claire Underwood, de House of Cards, admitiu que “ninguém sabia o que fazer” inicialmente quando as acusações contra Kevin Spacey começaram a acontecer.

O ator foi demitido da série da Netflix depois de ser acusado de conduta sexual inapropriada no ano passado e sobrou para Wright protagonizar a série no seu lugar. Algo sobre o que a atriz falou em participação recente no programa de Stephen Colbert.

“Foi uma decisão coletiva. Todos nós estávamos à bordo e os produtores disseram, ‘Sim, nos precisamos ser sensíveis ao clima’, porque estava bem em alta na época. Ninguém sabia o que fazer”, revelou a atriz.


“E essa é nossa temporada final, acho que todos pensamos e dissemos, ‘Por que decepcionar os fãs, vamos terminar da forma como sempre planejamos'”, continuou Wright.

“Em primeiro lugar, deixaríamos 2500 pessoas sem emprego. E eu disse, ‘Vamos encerrar com estilo, vamos dar um fim para eles, fechar a série'”, concluiu a atriz.

House of Cards | Robin Wright revela o conselho que David Fincher lhe deu sobre Claire

Na trama da temporada final, Claire será a mais nova líder dos Estados Unidos após a morte de Frank Underwood (Kevin Spacey), que fará de tudo para ficar no poder. Como adiantou a showrunner Melissa Gibson, os últimos capítulos questionarão “de quem é a Casa Branca”. Além disso, Claire deve mais do que nunca mostrar toda a sua ambição.

House of Cards | Final da série será “lindo e macabro”, de acordo com o elenco

O elenco conta com Robin Wright, Greg Kinnear, Diane Lane, Michael Kelly, Campbell Scott, Patricia Clarkson, Derek Cecil, Boris McGiver e Jayne Atkinson.

As cinco temporadas de House of Cards já estão disponíveis na Netflix. Já a 6ª, com oito episódios, estreia no dia 2 de novembro.