13 Reasons Why, conhecida por abordar temas polêmicos como suicídio, abuso sexual e saúde mental, pode estar fazendo mais mal do que bem, de acordo com um estudo publicado pela Universidade de Michigan.

13 Reasons Why | Atriz quer que série fale sobre aborto na 3ª temporada

A pesquisa, feita com uma amostra demográfica de 87% dos adolescentes, apontou que a maneira como a série trata o suicídio contribui para a glamourização da prática, principalmente em jovens do sexo feminino.


Quase metade (49%) dos 87 adolescentes, com idades entre 13 e 17 anos, afirmaram que assistiram pelo menos um episódio da série. Dentre os 43 adolescentes que assistiram a série, metade afirmou que ela contribuiu para o fortalecimento e concretização de pensamentos suicidas.

“A série tem sido um verdadeiro fenômenos, especialmente entre adolescentes. A maneira como ela retrata o suicídio vem levantando preocupação entre pais, profissionais da saúde e educadores. Os dados do nosso estudo demonstraram que os jovens com mais risco de cometerem suicídio, não procuraram a ajuda dos adultos. Eles assistiram a série sozinhos e conversaram com amigos, mas não procuraram ajuda dos pais, professores ou conselheiros das escolas”, afirmou Victor Huang, diretor de psiquiatria na Faculdade de Medicina da Universidade de Michigan.

13 Reasons Why já está em produção dos novos capítulos. No momento, a plataforma de streaming não divulgou detalhes sobre a trama da nova temporada.

O elenco conta com os retornos de Dylan Minette, Brandon Flynn, Alisha Boe, Justin Prentice, Christian Navarro, Anne Winters, Miles Heizer, Devin Druid e Ross Butler.

A 3ª temporada de 13 Reasons Why estreia na Netflix em 2019.