A Maldição da Residência Hill foi uma das grandes surpresas da Netflix neste ano, com a série de terror de Mike Flanagan recebendo diversos elogios da crítica e público.

Porém, um aspecto da produção acabou gerando reações divisivas: o final, que alguns consideraram “feliz” demais após uma narrativa completamente mergulhada na escuridão.

Em entrevista para o Thrillist, Flanagan revela que quase acrescentou um pequeno detalhe que reverteria o estado mais otimista do final, mas acabou retirando-o.


A Maldição da Residência Hill | Vídeo mostra a criação dos monstros e fantasmas

“Uma coisa que eu posso dizer é que nós comentamos por muito, muito tempo em colocar a janela da Sala Vermelha, aquela janela vertical estranha, no fundo dessa tomada [final]. E no fim eu decidi não fazer isso, seria muito cruel”, revela Flanagan.

“Mas houve uma conversa sobre essa paz talvez não ser real. Na versão que acabamos fazendo, eu acho que é absolutamente real. Nos comprometemos a isso no curso da ação”, tranquiliza o diretor.

A Maldição da Residência Hill e mais 9 casas mal assombradas que existem de verdade

8 Coisas para ficar atento ao reassistir a série

A Maldição da Residência Hill gira em torno da família Crane, que precisa enfrentar acontecimentos aterrorizantes em uma mansão de oitenta anos. A série adapta o clássico livro de terror da autora Shirley Jackson

Michiel Huisman, Carla Gugino, Timothy Hutton, Henry Thomas, Elizabeth Reaser, Oliver Jackson-Cohen, Kate Siegel, Victoria Pedretti, Lulu Wilson, Mckenna Grace, Paxton Singleton, Julian Hilliard, e Violet McGraw formam o elenco.

O livro já foi adaptado anteriormente para o cinema duas vezes, em um filme de 1963, dirigido por Robert Wise, e outro de 1999, de Jan de Bont. A nova versão foi criada por Mike Flanagan (Jogo Perigoso, O Espelho).

A Maldição da Residência Hill já está disponível na Netflix.

A Maldição da Residência Hill | Crítica – 1ª Temporada