Em entrevista ao Hollywood Reporter, o ator Diego Luna contou o que pode acontecer após os chocantes eventos finais da quarta temporada de Narcos.

Para Luna, a época e a nova ambientação do seriado fornecem uma ampla gama de temas para serem explorados.

“Aconteceu muita coisa depois disso. Em termos de material, Narcos poderia entregar pelo menos mais cinco temporada, porque há muita coisa que acontece após o término deste temporada”, explicou o ator.


Narcos: México | Showrunner fala sobre surpreendente retorno de personagem na 4ª temporada

“Este é o ponto de vista do México, mas você pode enxergar os mesmos problemas do ângulo da Europa, porque a parte complicada disto é que é uma questão global.”

“Sendo específicos sobre o México, este é o começo da queda do partido político PRI, que comandou por 70 anos”, continuou. “Houve eleições, mas elas foram uma piada. Todos sabiam que, a cada seis anos, o PRI teria um novo presidente, que seria sempre do mesmo partido e, portanto, manteria as mesmas pessoas e as mesmas estruturas. Em 88, pouco depois da morte de Camarena, houve uma eleição e o PRI perdeu. Todo mundo votou contra eles. E Carlos Salinas de Gortari chegou depois da eleição mais criticada de todos os tempos. Me lembro deste dia. Houve um despertar social quando o PRI começou a cair.”

Narcos: México | Revelado o ator que narra a 4ª temporada da série

No novo ano, Narcos começará uma história no Cartel de Guadalajara, acompanhando a ascensão de Félix Gallardo (Diego Luna, de Rogue One: Uma História Star Wars) como o maior traficante mexicano. Já Michael Penã fará o papel do agente da DEA Kiki Camarena, responsável por tentar derrubar o criminoso.

O brasileiro José Padilha é produtor executivo do seriado. Enquanto isso, os criadores do seriado, Doug Miro e Carlo Bernard voltam como produtores executivos.

A quarta temporada de Narcos já está disponível na Netflix.