Os fãs de The OA podem dizer que estão impacientes, afinal, a 1ª temporada foi lançada em 2016 e até agora não ganhou continuação na Netflix.

De uma maneira simples, a estrela e co-criadora da série, Brit Marling, utilizou o Instagram para contar aos fãs o motivo da demora. Em uma sequência de imagens, com um grande texto, a atriz explicou que a produção está na mixagem do som, e em um longo e elaborado processo para levar os novos episódios para plataforma de streaming.

“Séries são criadas em um ciclo anual primário porque elas funcionam com uma narrativa padrão. O criador da série atua como um mestre alfaiate – ele cria o padrão a partir do piloto. Então, outros ótimos alfaiates vem e criam as suas roupas a partir desse mesmo padrão. Isso permite a criação em alta velocidade e grande familiaridade, que é uma das coisas que amamos na TV”, começou a explicar a estrela da série.


No entanto, ao que diz Brit Marling, The OA funciona de uma maneira diferente, sem seguir o padrão.

The OA | Netflix confirma plano para cinco temporadas

“Nossos capítulos variam em tamanho, extensão e gênero. Não há padrão. Como resultado, ao longo do caminho nada pode ser imitado, tudo deve ser criado”, comentou a atriz.

Na publicação, que pode ser vista abaixo, Brit Marling garante que a série está criando “uma nova maneira” de contar histórias na TV. Por conta disso, a 2ª temporada, por enquanto, segue sem previsão de estreia.

Em The OA, uma jovem mulher (Brit Marling) reaparece após sete anos desaparecida – com a capacidade de ver depois de anos de cegueira e uma incrível história. Tão incrível que ela só compartilha com um pequeno grupo de adolescentes e um professor de ensino médio – nem mesmo seus pais adotivos, que passaram os anos procurando desesperadamente por ela, ficam sabendo dos detalhes.

Os oito episódios da primeira temporada estão disponíveis na Netflix.