Black Mirror: Bandersnatch, o episódio interativo da antologia de ficção científica da Netflix, tem uma cena pós-créditos secreta. No entanto, nem o co-criador do seriado consegue acessá-la.

O capítulo interativo foi feito de maneira tão complexa e com uma possibilidade infinita de roteiros, que Charlie Brooker admite que é difícil saber tudo que pode ser visto. A declaração foi feita em entrevista ao The Wrap.

“Eu acho que é depois do final do trem, ou se você não alcançou, vai te dar quatro ou cinco finais. Eu acho. Eu acho. Há muitas coisas secretas funcionando nesse episódio. É um bom exemplo de quanto complicado tudo é, eu não consigo explicar como chegar lá”, declarou o co-criador de Black Mirror.


De acordo com o The Wrap, na cena, voltamos ao momento em que Stefan está no ônibus indo para a Tuckersoft, mas ao invés de ouvir música, ele escuta uma fita com o nome Bandersnatch. Porém, apenas sons de estática e são audíveis. Ao que parece, nela um QR Code é disponibilizado e os fãs podem jogar o game que Colin desenvolvia durante o episódio interativo.

Ainda conforme o portal, essas são as escolhas para destravar a cena extra:

Black Mirror: Bandersnatch | Revelado o que acontece quando espectador insiste na mesma opção

Aceitar a forte original; matar Stefan na viagem alucinógena; final de P.A.C.S.; lutar com a Dra. Haynes; Matar o pai e enterrar o corpo; cortar o corpo (duas vezes); Pegar o coelho do pai (mas pegar o cofre errado); Pegar o cofre do pai e matar Stefan quando criança.

Bandersnatch é sobre a história de um jovem programador que cria um jogo a partir de um romance. No entanto, o protagonista começa a perder o controle sobre o que é a realidade e o que é o mundo virtual.

O especial de Black Mirror vai contar um recurso inédito: o espectador poderá escolher o final do filme, contando com 5 horas de material gravado.

O protagonista desse especial de Black Mirror é Fionn Whitehead, que fez sua estreia nas telas com Dunkirk.

Black MirrorBandersnatch está disponível na Netflix.