Black Mirror: Bandersnatch, o episódio interativo da antologia de ficção científica da Netflix, causou um processo contra a plataforma de streaming por conta da maneira que está sendo divulgado.

Um processo registrado no tribunal de Vermont, nesta sexta (11), afirma que a Netflix está usando, sem autorização, a marca “Escolha a sua Própria Aventura”. A acusadora é a editora Chooseco, que publica livros interativos desde a década de 80, utilizando a frase.

A queixa afirma que a Fox possui os direitos de produzir séries interativas baseadas nos livros da editora. Além disso, é revelado que a Netflix tentou em 2016 a sua própria licença, mas não conseguiu.


A editora alega que além de a plataforma estar vinculando a frase ao episódio interativo, os espectadores estariam se confundindo e relacionando a mesma marca com a produção. A Chooseco está cobrando, via justiça, US$ 25 milhões da Netflix a partir da acusação.

A plataforma de streaming não comenta o caso.

Black Mirror | Bandersnatch tem pistas da 5ª temporada, afirma co-criador

Bandersnatch é sobre a história de um jovem programador que cria um jogo a partir de um romance. No entanto, o protagonista começa a perder o controle sobre o que é a realidade e o que é o mundo virtual.

O especial de Black Mirror vai contar um recurso inédito: o espectador poderá escolher o final do filme, contando com 5 horas de material gravado.

O protagonista desse especial de Black Mirror é Fionn Whitehead, que fez sua estreia nas telas com Dunkirk.

Black Mirror: Bandersnatch está disponível na Netflix.