Amizade Dolorida é a nova série de comédia da Netflix, explorando a cultura de dominatrix e BDSM nos EUA. Apesar dos elogios da crítica, a comunidade dominatrix não está feliz com a série.

“Eu entendo que essa série é baseada superficialmente em uma experiência pessoal, mas ela joga uma sombra ruim e um estigma na dominação profissional. As invenções alimentam o estigma de BDSM e não mostram como é a vida de uma dominatrix. Por que ela é escrota o tempo todo? Por que ela usa um colar com um anel em O? Por que o espartilho dela não cabe direito? A falta de negociação e consentimento? Qual é, até algo superficial deveria ser uma representação melhor”, escreveu a Mistress Synful Pleasure.

“Nada disso pareceu real para mim. Não era uma história real de uma trabalhadora sexual bonita e complexa que tem uma história real de abuso no trabalho. Isso não me pareceu certo nem um pouco, até porque já passei por isso. Consulte uma p*** de uma trabalhadora sexual antes de escrever seu roteiro”, disse a dominatrix canadense Jessica Nicole Smith.


É a segunda vez em memória recente que uma obra de cultura pop provoca revolta da comunidade BDSM por seu retrato impreciso, a primeira sendo a infame trilogia Cinquenta Tons de Cinza.

A primeira temporada da série vai contar com 7 episódios. O elenco tem Brendan Scannell (Heathers), Zoe Levin (Red Band Society) e D’Arcy Carden (The Good Place).

Amizade Dolorida é sobre Pete (Brendan Scannell), um jovem homossexual, e Tiff (Zoe Levin), uma dominatrix. Os dois eram melhores amigos nos tempos de colégio, mas foram perdendo o contato com o passar do tempo. Anos depois, eles se reencontram inesperadamente na agitada Nova York. Agora, uma amizade de longa data está prestes a se fortalecer.

Amizade Dolorida está disponível na Netflix.