A terceira e última temporada de Jessica Jones estreou na sexta-feira (14) e não há como negar que terminou com um estrondo. Aqui, explicamos o que realmente aconteceu no último episódio da série.

Os últimos episódios acompanharam uma mudança grande de antagonistas. Por causa do trauma com sua mãe, Trish se transformou em uma máquina de matar incontrolável, que Jessica Jones (Krysten Ritter) finalmente consegue parar. Com sua mãe adotiva morta e sua irmã adotiva presa pelo resto de sua vida, nada mais mantém Jessica na cidade.

Nos momentos finais do episódio, Jessica se despede de Erik Gelden (Benjamin Walker), antes de entregar as chaves da Alias ​​Investigations para Malcolm Ducasse (Eka Darville), que foi demitido de seu emprego com Jeri Hogarth. A heroína alcoólatra, em seguida, dirige-se a uma estação de ônibus para comprar uma passagem para El Paso, no Texas, para que possa atravessar para o México e deixar sua vida atual para trás para sempre.


E é aí que as coisas começam a ficar um pouco estranhas. Assim que ela compra sua passagem para El Paso, a estação, de repente, começa a ficar roxa e somos surpreendidos com uma narração de ninguém menos que David Tennant. Enquanto ele não aparece em carne e osso, a voz de Tennant é inconfundível enquanto parabeniza Jessica por deixar a cidade, dizendo debochadamente que os problemas das pessoas não são mais dela para serem resolvidos.

Esse pensamento certamente tem um impacto no heroína quando se volta em reflexões profundas. Depois, quando a canção “Keep on Livin'”, da banda Le Tigre, começa a tocar, Jessica volta para o mundo agitado de Nova York com um sorriso no rosto. Foi um final adequado para uma temporada cheia de voltas e reviravoltas.

A terceira temporada de Jessica Jones está disponível na Netflix.