A Netflix não teve a melhor resposta com o recente aumento de preços dos planos. As informações desta semana não são positivas para o serviço nos Estados Unidos.

As ações da Netflix diminuíram 10% por conta da perda de um alto número de assinantes. No total, a plataforma registrou que 130 mil norte-americanos cancelaram o serviço.

Por outro lado, a plataforma segue absoluta ao redor do mundo. Globalmente, a Netflix ganhou mais 2,7 milhões de assinantes – apesar de que a projeção era de 5 milhões de novas contas.


“Nossa previsão de perda é em todas regiões, mas regiões com aumento de preços contam com perda maior. Nós não acreditamos no fator da competição desde que não há uma mudança no cenário e na intensidade de competição durante o segundo semestre, além de que nosso alcance é analisado por região”, declarou o CEO Reed Hastings.

O resultado líquido caiu de US$ 384 milhões, valor registrado no mesmo período no ano passado, para US$ 270 milhões, neste ano. Apesar disso, o resultado total subiu de US$ 3,9 bilhões para US$ 4,2 bilhões.

O que pode também explicar a queda nos EUA é que a plataforma está perdendo Friends por lá, bem como The Office, que era a série mais maratonada da Netflix na América do Norte. Hastings comenta apenas que a tendência é a plataforma passar a investir mais em conteúdo original.

Em janeiro, foi anunciado que a Netflix investiria US$ 15 bilhões em conteúdo original em 2019. No ano passado, o investimento foi de US$ 12 bilhões.

A partir de novembro, a plataforma começa a bater de frente com serviços que prometem balançar o mercado. É o mês de estreia do Disney +. Depois, em 2020, há o lançamento do HBO Max, da WarnerMedia.