Sarah Jessica Parker revelou em recente entrevista que foi assediada durante as gravações de Sex and the City. O fato quase fez a estrela deixar a produção.

Para NPR Fresh Air, a atriz de 54 anos lembrou que um ator tinha comportamento “inadequado” e “desconfortável” no set. O nome do homem não foi revelado.

“Eu acho que não importa o quão evoluída ou moderna eu pensava que fosse. Eu não me sentia totalmente em posição – não importando qual fosse o meu papel no set – eu não me sentia tão poderosa quanto o homem que estava se comportando inadequadamente”, afirmou a estrela.


Como uma das protagonistas da série, a atriz encontrou uma maneira de lidar com a situação. Com a ajuda do agente, fez um ultimato para a produção de Sex and the City.

“O que me parece impressionante de dizer em voz alta, porque havia muitas ocasiões em que estava acontecendo e eu estava em uma posição diferente e era tão poderosa. Quero dizer, eu tinha todo o direito de dizer: ‘Isso é inadequado’. Eu poderia ter me sentido segura em correr para um superior. E, de fato, houve uma situação com alguém e eu fui ao meu agente – porque eu senti que não era mais capaz de transmitir o quão desconfortável isso estava me deixando, o quão inadequado era”, relatou a famosa.

O agente, então, ameaçou a produção, informando que daria “uma passagem para bem longe da série” à atriz, o que fez a situação mudar. Sarah Jessica Parker também comentou que o movimento #MeToo a fez perceber uma série de situações inapropriadas que acontecem em produções de entretenimento.

“Não foi, eu diria, até seis ou oito meses atrás, que comecei a reconhecer inúmeras experiências de homens se comportando de maneira inadequada e de todas as maneiras pelas quais eu tinha conseguido continuar chegando a trabalho ou ficando no set”, contou a estrela.

A estrela viveu Carrie Bradshaw na série que foi ar entre 1998 e 2004 e em dois filmes baseados no seriado, de 2008 e 2010. A produção também tinha Kim Cattrall, Cynthia Nixon e Kristin Davis como estrelas.