Stranger Things é uma ótima ficção científica da Netflix, principalmente quando se trata do assustador e misterioso Mundo Invertido. No entanto, ao que parece, a série não foi concebida apenas com a imaginação fértil de Matt e Ross Duffer.

A série foi, na verdade, baseada em um experimento da CIA que realmente existiu. Bem que os criadores de Stranger Things tentaram avisar sobre isso desde o lançamento da produção.

“Queríamos elementos sobrenaturais unidos com a ciência de alguma forma”, contaram os criadores para Rolling Stone ainda em 2016.


Para fazer isso, a primeira temporada de Stranger Things contou com o experimento MK-Ultra. O projeto era liderado pelo Doutor Brenner e Eleven nasceu de uma das cobaias. Como mostrado na série, o cientista fez terríveis experimentos na mãe da personagem, o que resultou nos poderes da garota.

O que foi descoberto agora é que um experimento com o nome de MK-Ultra realmente existiu. O projeto da vida real foi criado em 1953, na CIA. Os norte-americanos queriam desenvolver habilidades de controle da mente para ter uma vantagem contra os russos.

Documentos secretos da CIA foram divulgados, como mostrou o Digital Spy, e detalhes sobre esse experimento foram revelados. Stranger Things pegou algumas ideias emprestadas.

O programa começou com um grupo de voluntários, mas logo se transformou em algo sinistro. As cobaias começaram a passar por abusos mentais e físicos. Os participantes recebiam drogas psicodélicas e não podiam dormir.

Uma das operações do programa até testou os efeitos do LSD em um homem que frequentava bordéis. A ação aconteceu em San Francisco e foi feita através de meios ilícitos pela CIA.

O projeto, considerado muito perigoso, foi finalizado em 1965. O governo dos EUA tentou destruir documentos, mas alguns vazaram.

Outro experimento estranho em que a série é baseada é o Projeto Montauk. A curiosidade é que Stranger Things quase se chamou Montauk.

De acordo com informações conspiratórias, nunca confirmadas, o governo dos EUA realizou esse projeto na década de 1980, na região de Nova York. O boato é de que um homem chamado Alfred Bielek abriu um buraco no hiperespaço, entre os anos de 1983 e 1943.

O homem afirma ainda que ele e o seu irmão tiveram que destruir a máquina que abriu esse espaço no tempo para salvar o mundo. A história é completamente bizarra e não há provas de que aconteceu. Mas, vale notar que serviu de inspiração para Stranger Things.

“É 1985 em Hawkins, Indiana, e o verão está esquentando. As aulas acabaram e há um novo shopping na cidade, e a turma de Hawkins está crescendo. O romance floresce e complica a dinâmica do grupo, e eles precisarão descobrir como crescer sem se separarem. Ao mesmo tempo, o perigo aparece. Quando a cidade é ameaçada por velhos e novos inimigos, Eleven e seus amigos são lembrados que o mal nunca acaba; ele evolui. Agora eles precisam se unir para sobreviver, e se lembrar que amizade é sempre mais forte do que o medo”, diz a sinopse da terceira temporada.

O elenco da terceira temporada de Stranger Things conta com Winona Ryder, David Harbour, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin, Natalia Dyer, Charlie Heaton, Cara Buono, Noah Schnapp, Sadie Sink, Joe Keery, e Dacre Montgomery.

Os novos integrantes da temporada incluem Cary Elwes, Jake Busey, e Francesca Reale.

A terceira temporada de Stranger Things está disponível na Netflix.