Desde que foi lançada, The Walking Dead tem uma grande controvérsia. Os fãs sempre discutem a forma como a série trata personagens LGBTQ+.

Alguns fãs de The Walking Dead até apelidaram a forma como os personagens são tratados como “Enterre os seus Gays”. Isso acontece porque a série sempre mata essas figuras – algo que o público não enxerga com a mesma intensidade com os héteros da série.

Essa situação se repete em outras séries, como The 100. Até por isso, o GLAAD chamou atenção para isso em um relatório de 2018.


“A televisão como um todo precisa se recuperar das duas últimas temporadas, que contaram com um enorme número de mortes de personagens lésbicas ou bissexuais”, dizia trecho do estudo.

The Walking Dead é vista como um grande problema. A série, recentemente, chegou a contar com cinco personagens LGBTQ+: Tara, Denise, Aaron, Eric e Paul ‘Jesus’ Rovia. Além de não terem as histórias pessoais desenvolvidas, quatro desses personagens acabaram mortos.

A primeira foi Denise, na sexta temporada. O fato foi um choque para os fãs, por conta do relacionamento dela com Tara. Para piorar a situação, Dwight, que assassinou a personagem, hoje é tratado como uma espécie de herói na derivada Fear the Walking Dead.

Na oitava temporada, The Walking Dead volta a usar a morte de um personagem gay para desenvolver outra história na trama. Eric é morto para que Aaron faça algo em relação aos Salvadores.

No nono ano, a mesma estratégia é utilizada. Jesus e Tara são mortos pelos Sussurradores, dando início à jornada sangrenta dos vilões em The Walking Dead.

Das mortes, a de Jesus foi a mais sentida. O ator Tom Payne até revelou-se decepcionado com a trama porque esperava “que seu personagem teria mais para fazer”, como contou para The Hollywood Reporter.

É verdade que The Walking Dead se passa no apocalipse e ninguém está protegido. Mas, fãs percebem o tratamento dado aos personagens LGBTQ+, que muitas vezes são mortos sem terem grande tempo de tela.

Do outro lado, Carl e Abraham ganharam episódios completos para se despedirem de The Walking Dead. Os dois acabaram mortos, mas tiveram a trama completamente desenvolvida e as mortes não foram apenas um artifício de ser um apoio para história de outro personagem ou ajudar na introdução de um novo vilão.

Na 10ª temporada, The Walking Dead tem como consertar esse erro. No ano passado, duas novas personagens lésbicas foram introduzidas, o casal Yumiko e Magna.

Com elas, a série tem tudo para desenvolver uma história completa. Um passo importante é que The Walking Dead até mostrou um beijo das personagens. Yumiko e Magna podem ser uma virada positiva para série.

Lauren Cohan, a Maggie, irá retornar para The Walking Dead! Você viu TODOS os easter-eggs da nova abertura da 10ª temporada? Entenda o motivo da nova temporada começar no espaço! Você viu que a shownrunner provocou um romance entre Daryl e Connie? As saídas de personagens importantes estão acabando com The Walking Dead? Você viu que uma personagem morta na 9ª temporada vai virar “fantasia” dos sussurradores na 10ª temporada? Confira TUDO sobre o novo spin-off ainda sem nome e muito mais no Observatório de Séries.

O elenco da série conta com Danai Gurira, Jeffrey Dean Morgan, Samantha Morton, Khary Payton e Melissa McBride. Lauren Cohan retorna como Maggie.

A 10ª temporada de The Walking Dead está em exibição no Brasil, na Fox. A série é exibida a partir das 22h.